Sanjuro

Cinema, Sétima Arte

sanjuro2

Uma das coisas que mais aprecio em Akira Kurosawa é a sua quase obsessão pela autenticidade de cenários, figurinos e adereços. A forma cuidada como trata todos os aspetos da mise-en-scéne tornam as histórias que conta muito mais verosímeis. Este facto aplica-se principalmente aos seus Jidaigeki, os seus filmes de época de Samurais.

Mas não é só de mise-en-scéne que vive o cinema de Kurosawa. Sanjuro, a sequela de Yojimbo, pode não ser a nata da nata do cinema do realizador japonês, mas é um excelente exemplo de que mesmo a fazer sequelas mais leves e escapistas, este consegue elevar a fasquia muito acima da média. As batalhas soberbamente encenadas, o uso excecional de composições panorâmicas e a habitual excelente performance de Toshiro Mifune fazem deste Sanjuro uma das melhores sequelas de sempre.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s