The Conversation

Cinema, Sétima Arte

the-conversation-original

Sinopse: Harry Caul (Gene Hackman) é um solitário e paranóico especialista em vigilância, que se torna vítima da mesma moderna tecnologia que usa para destruir os outros. Tudo começa com o que aparenta ser um trabalho de rotina, vigiando uma mulher infiel e o seu amante. Mas quando Harry visita o escritório do marido para entregar as fitas incriminatórias que fez do casal, o assistente do seu cliente tenta interceptá-lo. Harry recusa entregar-lhe as gravações e percebe subitamente que pode ter apanhado uma conversa acerca de algo que é muito mais importante que uma aventura extra conjugal. Pt Gate

Francis Ford Coppola fez quatro filmes nos anos 70. Os dois primeiros The Godfather, Apocalypse Now e The Conversation. Podia não ter feito outros filmes antes ou depois e, sem dúvida absolutamente alguma, era mais que suficiente para escrever o seu nome na história do cinema. Esta foi a sua década dourada. Poucos realizadores podem afirmar que fizeram um poker como o de Coppola. Esta foi a ideia com que fiquei quando acabei de ver The Conversation. Ser comparado com as restantes obras-primas de Coppola diz tudo sobre a sua qualidade. Conheço a sua filmografia, estava com expectativas altas, mas confesso que foram superadas completamente.

O argumento, a realização, o ritmo da narrativa, o som, as interpretações magníficas, tudo está no sítio certo, tudo se conjuga para fazer uma obra brilhante, onde Gene Hackman entrega uma das melhores performances da sua vida no papel de um meticuloso, e gradualmente mais paranóico, especialista em vigilância.

PS: Quem viu o também brilhante The Lives of Others (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck, e gostou, vai com certeza apreciar este filme, até porque, ao que parece, foi nele que foi buscar inspiração. O crítico Carrie Rickey escreve o seguinte sobre eles: “Both movies are about the morality of surveillance and the questionable reliability of information harvested – and how listeners can be duped and/or can misinterpret raw data. I would recommend these films to anyone interested in great movies that touch on the issues raised by L’Affaire Snowden.”

2 thoughts on “The Conversation

  1. Vi-o na semana passada, já que o vou incluir brevemente no meu blog. Do que mais gostei foi do ritmo. Um controlo absoluto, como se Coppola nos dominasse com as pontas dos dedos. Admirável. Excelente interpretação de Gene Hackman, também.

  2. Curioso! Também o vi na semana passada, apesar de estar há muito, muito tempo na minha lista de espera.
    Aguardo a entrada no teu blog para lá ir ler.🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s